Mitologia Nordica :Yggdrasil

" Poemas mitológicos da Islândia refletem um forte interesse pela criação do mundo e sua destruição final e recriação. A terra é representada como um círculo de terra cercado pelo oceano. Nas profundezas do oceano vive a Serpente do Mundo , enquanto no centro da terra há uma árvore poderosa, o Freixo do Mundo , Yggdrasil. As raízes da árvore descem até o mundo subterrâneo, e abaixo delas borbulha uma nascente, fonte da sabedoria oculta. Um ágil esquilo sobe e desce pelo tronco, levando mensagens entre a águia no topo e a serpente que morde suas raízes. Um cervo alimenta-se dos galhos, e de seus chifres fluem rios possantes; aqui também pasta uma cabra, que não produz leite, mas hidromel, para os guerreiros no salão de Odin.
Yggdrasil provavelmente significa Cavalo de Ygg, um dos nomes de Odin.
Ele teria se pendurado em agonia da árvore, num sacrifício voluntário, para conquistar o poder sobre as runas que davam conhecimento aos que soubessem interpretá-las. 
A transpiração de Yggdrasil goteja na terra, e os frutos da árvore ajudam nos partos. Esta é a árvore guardiã dos deuses, que realizam suas reuniões sob sua copa. É um símbolo de universalidade, ligando as diferentes raças de

seres e formando o centro de nove mundos. Uma visão de mundo anterior pode ter se baseado nos nove mundos superpostos na árvore. Talvez seja impossível produzir um diagrama ou mapa cosmológico coe-rente partindo do que nos dizem as fontes, e sem dúvida houve tradições diversas. 
Duas raças de deuses, os Aesir (deuses do céu) e os Vanir (deuses da terra), teriam vivido em Asgard, aparentemente no firmamento; mas os Vanir também têm seu reino de Vanaheim embaixo da terra. Entre as raízes da Arvore fica Jotunheim, terra de gigantes e também um reino dos mortos, regida por Hel, filha de Loki, o trapaceiro. Outros mundos mencionados nos poemas são os dos elfos e gnomos, o dos heróis no saguão de Odin e as misteriosas Forças Poderosas (talvez as Parcas). Jotunheim fica abaixo de Asgard, mas pode ser alcançada por uma longa e perigosa jornada sobre a terra; outro caminho liga Asgard ao reino dos mortos. 
A ponte de Bifrost, que dava acesso a Asgard, é guardada contra os gigantes: esta seria o arco-íris que liga o céu e a terra, mas originalmente pode ter sido a Via Láctea. Os mitos criam uma imagem vivida de trânsito constante entre os rei­nos, envolvendo jornadas perigosas por vastas distâncias.
No início havia um grande abismo, Ginnungagap, o Penhasco do Bocejo (ou talvez da Ilusão), cheio de energia latente. Camadas de gelo e faíscas de fogo uniram-se para criar o gigante andrógino primevo Ymir, de cujo corpo foram engendrados os gigantes e os primeiros homem e mulher. 
O gigante era alimentado por uma vaca primeva que lambeu os blocos de gelo salgado até que surgiram os Filhos de Bor — três deuses criadores que mataram Ymir e formaram a terra de seu corpo, o mar de seu sangue e o céu de seu crânio. O céu era mantido no ar por quatro gnomos ou anões, criaturas que procriavam como vermes na terra.
 Outra tradição é a de que um homem e uma mulher foram criados quando os três deuses deram forma  humana, respira­ção e compreensão a duas árvores na praia. Os deuses então estabeleceram a ordem, colocando o sol e a lua em suas trajetórias indicadas, promulgand o leis, construind o belos saguões em Asgard e produzindo tesouros de ouro. N o início houve guerra entre as duas companhias de deuses, os Aesir e os Vanir, mas fez-se uma trégua que resultou no preparo do hidromel da inspiração , um dos tesouros divinos. Outro tesouro, que preservava sua juventude, era seu estoque de maçãs douradas, guardadas pela deusa Idun .
Outros tesouros divinos foram forjados pelos gnomos. Odin tinha um anel de ouro, Draupnir, do qual caíam outros oito anéis a cada nove noites; e uma lança, Gungnir, que decidia a sorte na guerra. Thor tinha seu poderoso machado-martelo Mjollnir, que provocava o relâmpago, e Freyr e Fréia dos Vanir possuíam um porco de ouro que corria pelo céu e pelo mundo subterrâneo, e um navio mágico que era sempre soprado por ventos favoráveis. "


Mitologias - Roy Willis  pag( 193,194 ), Publifolha Editora, 2007



Comentários

  1. A Yggdrasil é a mesma pra mitologia céltica? Pois essa tatuagem eu acho na internet tanto como nórdica como celta...

    ResponderExcluir
  2. Sim é a mesma, a designação "Nordica" se refere aos antigos povos da era viking, dependendo do período de analise as mitologias podem ser um pouco diferentes, pois os antigos reinos ja haviam se desfeito e sido conquistados por outros povos.

    Se tratando de mitologia tudo é referente a certo periodo.
    alguma informações a mais em https://pt.wikipedia.org/wiki/Mitologia_n%C3%B3rdica e https://pt.wikipedia.org/wiki/Celtas


    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela explicação. Eu tinha ficado confuso pq pelo que eu sabia os vikings tinham como deuses Odin, Thor, Freya, etc. Já os celtas eram devotos a outros deuses mas com certa similaridade aos nórdicos. Porém quanto a Yggdrasil eu não estava conseguindo entender se se tratava da mesma árvore até pelas características próprias como a ligação dos nove mundos e tal.

    ResponderExcluir

Postar um comentário